Quarta Capa: um podcast para quem ama literatura

Olá, pessoas!

Logomarca do podcast Quarta Capa
#PraCegoVer: Logomarca do podcast Quarta Capa. Dentro de um círculo alaranjado vê-se, por trás de um livro azul aberto, o topo da cabeça e as mãos de uma pessoa que segura o livro para ler. Na capa do livro aparecem as letras QC. No topo do círculo há o nome do podcast escrito em maiúsculas. Fonte da imagem: Quarta Capa

Quarta Capa é um dos podcasts parceiros do Dragões de Garagem e seus episódios são quinzenais. O primeiro episódio foi ao ar no dia 19 de julho de 2018, ou seja, ele está começando sua jornada. Esse podcast possui vários hosts e eles/as se alternam na apresentação dos episódios. A equipe também procura alternar o estilo literário dos livros discutidos. Isso é ótimo tanto porque contempla públicos diferentes quanto nos ajuda a conhecer autores/as, obras e estilos literários.

Na equipe de hosts apareceram, até agora, Victor Caparica, Gabriela Ventura, Arthur Malaspina, Stephanie Borges, Olivia Maia e o Puncha. Cada um/a com um gosto e uma trajetória de leitura diferente o que torna tudo mais interessante. Continuar lendo

Anúncios

Podcasts sobre Biblioteconomia

Estou me tornando a lôca dos podcasts. Tem, pelo menos, 10 podcasts diferentes que estou me esforçando para acompanhar e uma lista mais ou menos do mesmo tamanho de podcasts que gostaria de acompanhar. E no meio dessas e de outras opções encontrei dois podcasts focados em questões bibliotecárias. \o/ \o/ \o/

Mas antes de qualquer coisa, aqui vai uma definição básica: “O podcast é como um programa de rádio, porém sua diferença e vantagem primordial é o conteúdo sob demanda. Você pode ouvir o que quiser, na hora que bem entender. Basta acessar e clicar no play ou baixar o episódio.” (MIRO, 2014, documento online).

technology-3042044_640
#PraCegoVer: Fotografia colorida. Em primeiro plano aprece um microfone. Ao fundo aparece um notebook ligado. A imagem está propositalmente desfocada e não é possível ver claramente o que é exibido na tela do computador. Fonte: Pixabay

Continuar lendo

Refletindo sobre os termos de uso das mídias sociais

Olá, pessoas!

Vocês leem os termos de uso das mídias sociais (Facebook, Twitter, Instagram, etc.) quando vão criar o perfil numa delas? Ou só clicam no “Eu concordo” (I agree) e seguem em frente?

Nunca li um desses termos em sua totalidade. Tenho tentado minimizar esse problema acompanhando melhor o debate e as atualizações de políticas dessas mídias, mas estou beeeeeeem longe do ideal.

Vale lembrar que as políticas de uso não estão presentes só nas mídias sociais. Muitos sites também as possuem. Em 2012, pesquisas estimavam que se fôssemos ler as políticas de todos os sites que visitamos ao longo de um ano gastaríamos o equivalente a 25 dias inteiros. Se esse período fosse organizado em horas trabalhadas – levando em conta um expediente de 8 horas diárias – seria o equivalente a 76 dias de trabalho. E essas estimativas são de cinco anos atrás. Continuar lendo

A Biblioteconomia em 280 caracteres

twitter
Twitter é a mídia do que está acontecendo agora. Fonte: Pixabay

A Biblioteconomia brasileira não parece curtir muito o Twitter e isso é uma pena porque tem muito conteúdo importante e divertido na mídia social do passarinho azul. Na postagem de hoje, vou listar algumas @’s (só algumas mesmo) que falam sobre temas de interesse da Biblioteconomia e que, se você estiver perdido ou pensando em passar a frequentar a timeline (TL) do Twitter, vale a pena acompanhar. Continuar lendo

As bibliotecas estão no Instagram and I think that’s beautiful

Hello, people!

social-1834010_640
As bibliotecas vão dominar o Instagram. Fonte da imagem: Pixabay

Vocês já atualizaram os stories de vocês hoje? 😉 😀 Calma que eu não vou lá conferir. Essa pergunta é só porque a postagem de hoje é sobre bibliotecas e Instagram. Essa mídia social tem sido cada vez mais utilizada pelas bibliotecas e existem vários perfis que – seja pela criatividade das postagens, riqueza do acervo ou pela diversidade de programação da instituição que o mantém – vale a pena acompanhar. Então, vamos a sete deles! Continuar lendo

Tem newsletter para você

Eu sou uma entusiasta da Web e das mídias sociais, pois acredito que esses recursos oferecem muitas novas (ou não tão novas assim) possibilidades para as bibliotecas e bibliotecários/as. Mas eu também sou a pessoa que não tem mais WhatsApp e que ficou mais de um ano ininterrupto sem Facebook.

icon-1798271_640
Você tem uma nova mensagem. Fonte: Adaptado de Pixabay.

Nesse período acabei me aproximando de recursos informacionais que eu não utilizava tanto. Foi uma experiência bem interessante e enriquecedora porque se eu quisesse me manter atualizada, independente de ser uma atualização sobre Biblioteconomia ou outros assuntos, eu não podia mais contar com o feed do Facebook e muito menos com os grupos de WhatsApp.

Acabei incorporando alguns recursos a minha rotina de consumo informacional e o que mais passei a utilizar foram as newsletters. Para quem não conhece, a newsletter é um tipo de e-mail informativo enviado com certa regularidade. Essa é uma ferramenta muito usada para enviar propaganda, mas nos últimos 3 ou 4 anos cresceu o número de pessoas e instituições que a utilizam para compartilhar os mais variados tipos de assuntos. Continuar lendo

Biblioteconomia e mídias sociais: algumas considerações

Eis que finalmente chegamos a postagem mais aguardada, ao tema mais votado na eleição de aniversário, ao queridinho das multidões: Biblioteconomia e mídias sociais. Adianto que talvez – certeza absoluta, na verdade – este post não corresponda as expectativas de vocês.

Amo mídias sociais e sou uma entusiasta do uso dessas ferramentas pelas unidades de informação de uma maneira geral e pelas bibliotecas em particular. Acredito que estes espaços são ótimas oportunidades para ampliarmos a visibilidade e o alcance de nossas ações. E quando falo em alcance não estou pensando no número de likes, mas sim nas opções de serviços que podem ser criados fazendo uso dessas ferramentas. Continuar lendo