#Resenha – Bibliotecas no Mundo Antigo

CASSON, Lionel. Bibliotecas no mundo antigo. Tradução de Cristina Antunes. São Paulo: Vestígio, 2018.

Capa do livro Bibliotecas no mundo antigo
#PraCegoVer: Capa do livro Bibliotecas no mundo antigo. Nela aparece a sala de uma biblioteca da Antiguidade com colunas decoradas. Ao fundo há uma estante onde homens procuram pergaminhos e a esquerda há uma mesa onde homens leem pergaminhos. Todos vestem túnicas coloridas.

Comprei esse livro por impulso por causa de uma promoção ótima da Amazon. Quando o livro chegou aqui em casa achei a capa bonita, mas o coloquei na pilha interminável de leituras pendentes. Por engano ele foi junto com alguns livros que levei pra estudar em Juazeiro (para quem chegou aqui agora, estou estudando na UFCA, então fico indo e vindo entre duas cidades) e, por isso, acabou se tornando uma leitura que fiz pra desopilar dos textos que estou lendo na pós-graduação. E olha, que ótima leitura ele se mostrou!

Lionel Casson (1914 – 2009) era professor emérito da Universidade de Nova Iorque. Sua especialidade era história marítima, mas ele também desenvolveu estudos sobre literatura grega. Ao longo de sua carreira, teve 23 livros publicados, além de trabalhos em outros formatos. Em 2005 foi agraciado pelo Archaeological Institute of America (Instituto Arqueológico da América) com a Gold Medal Award for Distinguished Archaeological Achievement que é um prêmio concedido aos pesquisadores que contribuíram de maneira notável para o desenvolvimento da arqueologia. Continuar lendo

Anúncios

Quarta Capa: um podcast para quem ama literatura

Olá, pessoas!

Logomarca do podcast Quarta Capa
#PraCegoVer: Logomarca do podcast Quarta Capa. Dentro de um círculo alaranjado vê-se, por trás de um livro azul aberto, o topo da cabeça e as mãos de uma pessoa que segura o livro para ler. Na capa do livro aparecem as letras QC. No topo do círculo há o nome do podcast escrito em maiúsculas. Fonte da imagem: Quarta Capa

Quarta Capa é um dos podcasts parceiros do Dragões de Garagem e seus episódios são quinzenais. O primeiro episódio foi ao ar no dia 19 de julho de 2018, ou seja, ele está começando sua jornada. Esse podcast possui vários hosts e eles/as se alternam na apresentação dos episódios. A equipe também procura alternar o estilo literário dos livros discutidos. Isso é ótimo tanto porque contempla públicos diferentes quanto nos ajuda a conhecer autores/as, obras e estilos literários.

Na equipe de hosts apareceram, até agora, Victor Caparica, Gabriela Ventura, Arthur Malaspina, Stephanie Borges, Olivia Maia e o Puncha. Cada um/a com um gosto e uma trajetória de leitura diferente o que torna tudo mais interessante. Continuar lendo

Escrevivências de mulheres negras

No dia 8 de março rolou aqui no blog a postagem Livros & Girl Power onde listei algumas obras que ajudam a mostrar que “coisa de menina” é ser o que ela quiser. Além disso, vez por outra, uso esse espacinho para falar sobre a importância e a necessidade de lermos (mais) mulheres. E hoje vai ser mais um dia em que venho aqui com o objetivo de espalhar essas palavras: Leiam Mulheres!!!

Fotografia em preto e branco das ondas do mar se chocando contra rochedos.
#PraCegoVer: Fotografia em preto e branco das ondas do mar se chocando contra rochedos. Na parte superior da imagem lê-se a frase, da escritora Octavia Butler, “Todas as lutas são, essencialmente, lutas sobre poder.” Fonte: Imagem adaptada por Izabel Lima.

Continuar lendo

#Resenha – Livro: uma história viva

LYONS, Martyn. Livro: uma história viva. São Paulo: Editora SENAC, 2011.

Começo essa resenha dizendo o seguinte: pense num livro bonito!!! Meu lado “pessoa que admira obras bem feitas” se regozijou com ele. ❤

Pronto! Agora posso falar do conteúdo.

O autor da obra é o professor e pesquisador da história do livro Martyn Lyons. Ele já visitou vários países pesquisando o tema e tem diversas obras onde se dedica a apresentar a rica e nada monótona história desse que é um dos mais importantes artefatos culturais já criados pela humanidade. Continuar lendo

Livros & Girl Power no 8 de março

8 de março é Dia Internacional da Mulher e um bom jeito de passar esse dia é ler obras que mostram um pouco do quanto as mulheres são corajosas, inteligentes, criativas, sagazes, ou seja, ma-ra-vi-lho-sas. Se você não sabe por onde começar, elaborei uma lista com alguns títulos que mostram um pouquinho disso.

As cientistas: 50 mulheres que mudaram o mundo – Rachel Ignotofsky

Sabe aquela história de que “mulheres não são boas nas áreas de ciência e tecnologia”, “que a prática científica não é pra gente” e etc. que escutamos escuta por aí? Pois é… tudo mentira. Ao longo da história da humanidade inúmeras mulheres (e seriam muitas mais se tanta gente idiota não insistisse em atravancar nosso caminho) contribuíram de diversas maneiras para o desenvolvimento científico e são as trajetórias de 50 dessas mulheres que esse livro aborda. Continuar lendo

Onde vivem os livros de Biblioteconomia?

Eu tenho uma lista infinita de livros que quero ler e uma lista bem mais modesta de livros que quero comprar. Obviamente alguns desses títulos são livros de Biblioteconomia e, ás vezes, é bem difícil conseguir um exemplar, especialmente de edições em português. Nossa área publica pouco e as reedições são coisa rara. Por isso, cuide bem dos seus exemplares.

Se você procura livros em formato digital – PDF, pra ser mais específica – o Portal do Livro Aberto e o site da Abecin são opções. No primeiro você encontra livros sobre Gestão da Informação, Ciência da Informação, Representação, Tecnologia da Informação, dentre outros temas. Já no site da Abecin é possível fazer o download da Coleção Palavra-Chave. Não sabe que livros integram essa coleção? Que tal o Sociedade e Biblioteconomia, do Almeida Junior e/ou Serviços de Referência & Informação, da Nice Figueiredo? 😉 No site da Febab também é possível fazer download de algumas obras. Continuar lendo

Quantas escritoras estão no seu catálogo?

E se uma pessoa chegasse hoje, agora, nesse exato minuto, na biblioteca onde você trabalha procurando livros escritos por mulheres? De quantas escritoras diferentes você teria obras para oferecer? Quão variados seriam os temas e gêneros dessas obras? Quão diverso seria o perfil dessas escritoras?

Sim, porque se tem uma coisa que nós, mulheres, não somos é pasteurizadas, homogêneas, portanto, nossa escrita também não é pasteurizada, homogênea. Assim como nós, ela é plural. Assim como ela, o acervo das bibliotecas também deve(ria) ser.

Me peguei pensando nisso dia desses e resolvi compartilhar esse questionamento com vocês. E aí, quantas?