Escrevivências de mulheres negras

No dia 8 de março rolou aqui no blog a postagem Livros & Girl Power onde listei algumas obras que ajudam a mostrar que “coisa de menina” é ser o que ela quiser. Além disso, vez por outra, uso esse espacinho para falar sobre a importância e a necessidade de lermos (mais) mulheres. E hoje vai ser mais um dia em que venho aqui com o objetivo de espalhar essas palavras: Leiam Mulheres!!!

Fotografia em preto e branco das ondas do mar se chocando contra rochedos.
#PraCegoVer: Fotografia em preto e branco das ondas do mar se chocando contra rochedos. Na parte superior da imagem lê-se a frase, da escritora Octavia Butler, “Todas as lutas são, essencialmente, lutas sobre poder.” Fonte: Imagem adaptada por Izabel Lima.

Continuar lendo

Anúncios

#Resenha – Livro: uma história viva

LYONS, Martyn. Livro: uma história viva. São Paulo: Editora SENAC, 2011.

Começo essa resenha dizendo o seguinte: pense num livro bonito!!! Meu lado “pessoa que admira obras bem feitas” se regozijou com ele. ❤

Pronto! Agora posso falar do conteúdo.

O autor da obra é o professor e pesquisador da história do livro Martyn Lyons. Ele já visitou vários países pesquisando o tema e tem diversas obras onde se dedica a apresentar a rica e nada monótona história desse que é um dos mais importantes artefatos culturais já criados pela humanidade. Continuar lendo

Livros & Girl Power no 8 de março

8 de março é Dia Internacional da Mulher e um bom jeito de passar esse dia é ler obras que mostram um pouco do quanto as mulheres são corajosas, inteligentes, criativas, sagazes, ou seja, ma-ra-vi-lho-sas. Se você não sabe por onde começar, elaborei uma lista com alguns títulos que mostram um pouquinho disso.

As cientistas: 50 mulheres que mudaram o mundo – Rachel Ignotofsky

Sabe aquela história de que “mulheres não são boas nas áreas de ciência e tecnologia”, “que a prática científica não é pra gente” e etc. que escutamos escuta por aí? Pois é… tudo mentira. Ao longo da história da humanidade inúmeras mulheres (e seriam muitas mais se tanta gente idiota não insistisse em atravancar nosso caminho) contribuíram de diversas maneiras para o desenvolvimento científico e são as trajetórias de 50 dessas mulheres que esse livro aborda. Continuar lendo

Quantas escritoras estão no seu catálogo?

E se uma pessoa chegasse hoje, agora, nesse exato minuto, na biblioteca onde você trabalha procurando livros escritos por mulheres? De quantas escritoras diferentes você teria obras para oferecer? Quão variados seriam os temas e gêneros dessas obras? Quão diverso seria o perfil dessas escritoras?

Sim, porque se tem uma coisa que nós, mulheres, não somos é pasteurizadas, homogêneas, portanto, nossa escrita também não é pasteurizada, homogênea. Assim como nós, ela é plural. Assim como ela, o acervo das bibliotecas também deve(ria) ser.

Me peguei pensando nisso dia desses e resolvi compartilhar esse questionamento com vocês. E aí, quantas?

Clubes de assinatura de livros

still-life-1037376_640
Até o ursinho gosta de ler

Alguns dizem que eles são uma nova roupagem do clássico círculo do livro. Talvez sejam mesmo. O fato é que nos últimos dois anos a quantidade de clubes de assinatura de livros vem crescendo. A proposta é simples, você paga uma assinatura e recebe, todos os meses, na sua casa um (ou mais) livro surpresa. Dependendo do clube, os livros enviados podem ser acompanhados de algum mimo relacionado a obra. Continuar lendo

Trocando livros no Skoob

retina-logo
Corujinha leitora no pedaço! Fonte da imagem: Blog do Skoob

Recriei minha conta no Skoob – que é uma rede social voltada para leitores – alguns meses atrás e resolvi utilizar uma das funcionalidades mais interessantes oferecidas por essa mídia social:  a troca de livros entre seus usuários. Continuar lendo

Nem toda doação é um ato de amor

No ano passado escrevi um pouco sobre desapego em relação aos livros. A maior parte dos livros dos quais me desfiz acabou indo parar nas mãos de amigos e colegas de Biblioteconomia, mas alguns foram doados para bibliotecas.

Agora, se até eu que não tinha tantos livros assim já doei livros para bibliotecas, imagina quem acumula documentos nos mais diversos formatos durante anos e anos e anos? Muitas dessas pessoas um belo dia resolvem “organizar seus acervos” e separam pilhas de livros, revistas, xerox, gibis, blocos de anotações, vhs, dvd, panfletos, apostilas e manuais de microondas (sim, manuais de microondas) e resolvem que não precisam mais desses materiais. Continuar lendo