Minha experiência com o Google Livros

Dia desses estava flanando pelo Twitter e me deparei com um texto da Lady Sybylla com dicas para ler mais e melhor. Como sou alguém que, apesar de significativos e recentes avanços, ainda tem uma pilha de coisas acumuladas para ler fui conferir as lista. Pois bem, algumas das dicas listadas pela Sybylla eu já pratico, mas a leitura do texto dela me fez pensar sobre uma coisa que passei a fazer no começo desse ano e que me ajudou a otimizar meu tempo e a ler mais: usar o Google Livros para ler meus arquivos pessoais.

Explico.

googlelivros
Tela inicial do Google Livros

Até o final do ano passado (2015) eu usava o Google Livros para ler apenas trechos de obras disponibilizadas gratuitamente. Normalmente, procurava algum livro do qual tinha ouvido falar e lia os trechos disponibilizados pela editora na ferramenta. Era a partir dessa leitura que eu decidia se iria comprar livro ou procurá-lo em uma biblioteca para ler todo seu conteúdo.

O que começou como um meio para evitar compras compulsivas que formariam pilhas de livros nunca lidos, acabou se mostrando também uma ótima maneira de experimentar novos gêneros e descobrir autores/as. Usar o Google Livros como uma ajuda para selecionar novas e futuras leituras já me havia feito curtir bastante a ferramenta, mas o que estava bom ficou melhor quando descobri que podia adicionar arquivos a Minha Biblioteca no Google Livros e lê-los em qualquer dispositivo, quando eu quisesse.

images.duckduckgo.com
Símbolo do aplicativo Google Play Livros

Essa funcionalidade tem me ajudado muito a agilizar a leitura de livros eletrônicos e está me fazendo cogitar seriamente a compra de um e-reader. Digo isso porque apesar de super útil, ler arquivos .pdf via Google Livros ainda é uma experiência limitada, pois não posso grifar trechos, por exemplo, mas pra quem vai utilizá-lo para ler arquivos no formato ePUB a experiência é bem mais completa. É possível fazer upload de arquivos a partir do computador ou do Drive e ler tanto usando computadores como tablets ou smartphones, para esses últimos é preciso usar o aplicativo da Google Play Livros.

 

Ficou curioso/a e quer experimentar o aplicativo? O Vida sem Papel elaborou um ótimo tutorial explicando o passo a passo de uso da ferramenta. Deem uma olhada. Além do Google Livros, existe uma série de outros aplicativos para quem precisa ler ebooks no tablet ou smartphone. Experimentem e escolham aquele que melhor se adapta as suas necessidades. Ah, não esqueçam de me contar a experiência de vocês.

Até a próxima postagem!

Anúncios

2 comentários sobre “Minha experiência com o Google Livros

  1. O formato EPUB é muito melhor que o PDF para livros. O PDF devia ficar restrito a revistas e outras publicações que demandem imagens e diagramação mais sofisticada. Para texto o EPUB é muito melhor.

    No meu caso uso o iBooks do iOS para ler, ele é similar ao Kindle e acredito que deva ter recursos semelhantes ao aplicativo do Google.

    Curtido por 1 pessoa

    • Obrigada pela visita e por dividir sua experiência de leitura! 🙂
      O ePUB é bem mais interessante, pena ainda existirem poucos livros acadêmicos (ao menos na minha área) nesse formato. Um dos problemas das publicações em PDF é que muitas delas ainda são elaboradas tendo por base a lógica do contexto analógico (de publicação) e não do digital. Isso produz documentos menos atraentes (e funcionais!) do que podem ser e atrapalha a leitura em dispositivos móveis, por exemplo.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s