Preservar é Preciso!

THE BRITISH LIBRARY. Preservação de documentos: métodos e práticas de salvaguarda . 3. ed. rev. e ampl. Salvador, BA: EDUFBA, 2009.

A preservação documental é um conjunto de diretrizes e ações que tem por objetivo garantir o acesso (com qualidade) a informação contida nos mais diversos tipos e formatos de documentos pelo maior tempo possível. Apesar da definição concisa, essa não é uma tarefa nada simples de desempenhar. Na verdade, ela constitui-se em um verdadeiro desafio para bibliotecários, arquivistas e museólogos.

Apesar da relevância da temática, ainda há certo desconhecimento acerca dos aspectos inerentes a sua realização. Nesse sentido, livros como o “Preservação de Documentos: métodos e práticas de salvaguarda” acabam por contribuir para o preenchimento de lacunas, uma vez que apresenta de maneira simplificada e didática sobre as atividades relacionadas as várias etapas do processo de preservação.

Capa da 3. ed. do livro "Preservação de documentos"
Capa da 3. ed. do livro “Preservação de documentos”

O livro foi constituído a partir de textos do National Preservation Office, da British Library. Textos esses que foram elaborados para uso nas bibliotecas inglesas, mas que também podem auxiliar o trabalho de preservação desenvolvido por profissionais da informação brasileiros, uma vez que a deterioração de acervos documentais constitui-se numa preocupação mundial.

É importante compreender logo de início que “não se pode eliminar o processo de deterioração dos documentos com um passe de mágica, mas se pode retardá-lo.” (HOWES, 2009, p. 10). Esse entendimento é fundamental, pois é a partir dele que todo processo de preservação documental se desenvolve.

Outro ponto destacado logo no começo desse livro (e em outros trabalhos sobre o tema) é que existe uma diferença entre Restauração, Conservação e Preservação. Na obra em questão, cada uma é definida logo no começo da obra visando demonstrar que a Preservação é algo macro, pois trata-se de “uma política global, desde os aspectos administrativos e financeiros, até as investigações científicas sobre a constituição dos materiais e as mais simples medidas de higienização.” (HOWES, 2009, p. 11).

Após essas e outras conceituações necessárias a compreensão do tema, o livro “Preservação de Documentos: métodos e práticas de salvaguarda” adentra em sua parte mais pragmática, um vez que traz uma série de capítulos com descrições referentes aos tipos aos cuidados necessários a preservação do acervo. O livro traz dicas muito práticas como, por exemplo, uma metodologia simples para a realização de inspeções no acervo e outra para referente a construção para um plano de reação em caso de emergências (incêndios, inundações e etc). Além disso, materiais e técnicas para preservação (incluindo os riscos e outras desvantagens inerentes a seu uso) são apresentados de maneira objetiva.

O livro apresenta seu conteúdo de modo simples e conciso e isso é bom porque facilita um contato inicial com os principais aspectos da preservação documental. Notaram o “contato inicial” na frase anterior? Pois é. O livro é básico, é um guia para orientar quem precisa desse tipo de conhecimento, mas em momento algum substitui um curso onde o aprendizado tanto as questões teóricas quanto as práticas possa ser aprofundado.

Agora vamos a uma notícia chata.

Apesar de está em sua 3ª edição, o livro “Preservação de Documentos: métodos e práticas de salvaguarda” está esgotado. Entretanto, como o conteúdo foi elaborado a partir do trabalho do National Preservation Office (NPO) uma boa parte dele pode ser acessada gratuitamente (em inglês) no arquivo on-line do Preservation Advsory Center. Essa divisão do NPO foi reestruturada, mas muitos de seus arquivos foram preservados e disponibilizados on-line,  o que ilustra bem a prática da preservação digital. Em português, vocês podem consultar o Plano de Gerenciamento de Riscos da Biblioteca Nacional brasileira. Esse plano é bem detalhado e vai permitir tanto o contato com alguns conceitos quanto com um produto oriundo dos esforços de preservação documental desempenhados por uma instituição que é referência para a atuação das demais bibliotecas brasileiras.

REFERÊNCIAS

HOWES, Robert. Apresentação. In.: THE BRITISH LIBRARY. Preservação de documentos: métodos e práticas de salvaguarda . 3. ed. rev. e ampl. Salvador, BA: EDUFBA, 2009.

+INFO

ARELLANO, Miguel Angel. Preservação de documentos digitais. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 2, p. 15-27, maio/ago. 2004.

COSTA, Marilene Fragas. Noções básicas de conservação preventiva de documentos. Rio de Janeiro, RJ: [s.n.], 2003.

SILVA, Rubens Ribeiro Gonçalves da. Preservação documental: uma mensagem para o futuro. Salvador, BA: EDUFBA, 2012.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s