Estamos de Mudança

Olá, pessoas! Tudo bem?

Tenho um comunicado para fazer para vocês. Esta é a última postagem do blog Estante de Bibliotecária. Sim, vocês leram certo, mas nada de pânico. Estamos de mudança e não entrando em extinção. Explico.

Tenho pensado em encerrar as atividades do blog faz alguns meses. Ando sem muita disposição e tempo para me dedicar a ele. Não é a primeira vez que penso nisso, mas agora resolvi levar essa ideia adiante.

Pouco antes do aniversário de três anos (em 2017), quase encerrei as atividades aqui do bloguinho e quando passei no mestrado fiquei um bom par de dias pensando nisso também, mas não levei a ideia adiante. Porém esses meses tentando manter tudo funcionando normalmente me fizeram perceber algumas coisas:

1 – O ritmo de elaboração de conteúdo pro blog não é algo que consigo encaixar com serenidade na minha rotina no momento. São cerca de quatro postagens por mês e entre definir pauta, realizar a pesquisa sobre o tema, escrever e revisar iam-se horas.

2 – Estou cansada de produzir conteúdo pro blog. Sigo sendo uma fã e leitora do formato, mas, como produtora de conteúdo ininterrupto para ele, é hora de apertar o pause.

3 – Descobri outros formatos (como a newsletter) e quero desbravá-los. Pensei em tentar conciliar, mas, por hora, isso não é uma opção. Quem sabe um dia.

O fato do blog encerrar as atividades não quer dizer que tudo acabou. Na verdade, o que vai acontecer é uma reformulação. O Instagram e o Twitter Estante de Bibliotecária vão continuar ativos (continuem me seguindo por lá, hein) e, em alguns dias quero enviar a primeira edição da newsletter Estante de Bibliotecária. Essa é a parte do “explorar novos formatos” que mencionei antes. 😉

A ideia é que a newsletter seja mensal, pois assim tenho tempo e tranquilidade pra fazer algo que me dê alegria e que eu ache que tenha um conteúdo significativo para quem resolver assinar. Se você quiser receber minhas divagações mensais na sua caixa de e-mail é só clicar nesse link aqui para se inscrever. É 0800! Vai ser ótimo contar com a sua companhia nessa nova fase. Mas se alguém acha que não vale a pena seguir me lendo por lá, tudo bem também.

Vai ser uma mudança de formato (e em vários sentidos, também de conteúdo) e não foi fácil bater o martelo e decidir que, a partir de agora, seria assim; mas mudar a estrutura da Estante é algo que venho pensando em fazer a algum tempo. Agora tomei coragem. Essa coragem veio da necessidade e da vontade de não extinguir o projeto apesar de ter bem menos tempo para ele hoje do que tinha quatro anos atrás quando o comecei.

Sempre terei carinho pelas pessoas, trocas e oportunidades que este bloguinho me trouxe. Sério! Aprendi muito aqui e sou muito grata por isso. Provavelmente, eu nunca atinja na newsletter a quantidade de leitores que tenho aqui, afinal são 88 inscritos e em setembro tivemos 7 mil visitantes, mas pra mim é chegada hora de mudar de ares.

Explicações feitas, reforço o convite para você assinar a newsletter Estante de Bibliotecária.

Ah, e para provar que não é tempo de tristeza, você já viu e já está participando do super sorteio que está rolando no nosso Instagram? Três sortudos/as vão ganhar livros incríveis. Corre lá para participar até dia 24/11/2018.

Beijos e obrigada pela companhia até aqui!

P.S.1: Se você tiver dúvidas sobre a newsletter ou quiser teclar comigo sobre Biblioteconomia e áreas afins é só entrar em contato via Twitter, Instagram ou no e-mail estantedebibliotecaria@gmail.com.

P.S.2: Eu não vou deletar o blog. Os posts vão continuar aqui, mas a caixa de comentários vai se fechada e algumas partes que carecem de atualização periódica vão ser deletadas.

Anúncios

#Resenha – Bibliotecas no Mundo Antigo

CASSON, Lionel. Bibliotecas no mundo antigo. Tradução de Cristina Antunes. São Paulo: Vestígio, 2018.

Capa do livro Bibliotecas no mundo antigo
#PraCegoVer: Capa do livro Bibliotecas no mundo antigo. Nela aparece a sala de uma biblioteca da Antiguidade com colunas decoradas. Ao fundo há uma estante onde homens procuram pergaminhos e a esquerda há uma mesa onde homens leem pergaminhos. Todos vestem túnicas coloridas.

Comprei esse livro por impulso por causa de uma promoção ótima da Amazon. Quando o livro chegou aqui em casa achei a capa bonita, mas o coloquei na pilha interminável de leituras pendentes. Por engano ele foi junto com alguns livros que levei pra estudar em Juazeiro (para quem chegou aqui agora, estou estudando na UFCA, então fico indo e vindo entre duas cidades) e, por isso, acabou se tornando uma leitura que fiz pra desopilar dos textos que estou lendo na pós-graduação. E olha, que ótima leitura ele se mostrou!

Lionel Casson (1914 – 2009) era professor emérito da Universidade de Nova Iorque. Sua especialidade era história marítima, mas ele também desenvolveu estudos sobre literatura grega. Ao longo de sua carreira, teve 23 livros publicados, além de trabalhos em outros formatos. Em 2005 foi agraciado pelo Archaeological Institute of America (Instituto Arqueológico da América) com a Gold Medal Award for Distinguished Archaeological Achievement que é um prêmio concedido aos pesquisadores que contribuíram de maneira notável para o desenvolvimento da arqueologia. Continuar lendo

Biblio Radar – Outubro de 2018

Radar
#PraCegoVer: Imagem de um radar circular nas cores verde e preto. Nele aparecem quatro pontos indicando a presença de objetos. Fonte da imagem: Pixabay

Olá, pessoas queridas!

Está no ar mais uma edição do nosso resumo de obras, atividades, novidades e afins sobre Biblioteconomia e áreas correlatas que passaram pelo radar da bibliotecária que vos tecla ao longo do mês. A lista de outubro tá eclética!

Manuscritos notáveis

Autoria: Christopher de Hamel (Tradução: Paulo Geiger. Companhia das Letras, 2017).

Esse livro é lindo! De uma maneira leve e, muitas vezes, poética o autor nos apresenta dez dos mais famosos manuscritos já produzidos. São livros escritos em épocas e com finalidades diversas, mas que tem em comum histórias fascinantes. Além do texto rico, o livro também conta com belas ilustrações. Quem é apaixonado pela história dos registros do conhecimento precisa ler essa obra. Continuar lendo

#Resenha – Técnicas modernas de preservação & recuperação de acervos bibliográficos

GOMES, Gláucia; NOGUEIRA, Isabel; ABRUNHOSA, J. J. Técnicas modernas de preservação & recuperação de acervos bibliográficos. Nova Friburgo: Êxito Brasil, 2006.

TECNICAS_MODERNAS_DE_PRESERVACAO_E_RECUP_1395961032B
#PraCegoVer: Capa, em tons arroxeados, do livro resenhado na postagem. Além do título e do nome das autoras aparecem pilhas de papéis e, ao fundo, desfocadas, há estantes com mais pilhas de papéis. Fonte: Skoob

Antes de começar a resenha propriamente dita, um conselho: quando você estiver num evento da sua área e nele tiver uma banquinha vendendo livros e afins, passe pra dar uma olhada. Normalmente, itens legais costumam ser vendidos por lá.

Foi seguindo meu próprio maravilhoso conselho – agora compartilhado com vocês – que encontrei o livro do qual vou falar hoje. Não sou especialista na área de preservação de acervos, então o livro Técnicas modernas de preservação & recuperação de acervos bibliográficos acabou me ajudando a aprender mais um pouco e preencher algumas lacunas.

A obra está dividida em cinco capítulos. São eles: Introdução; o livro e seus componentes; Técnicas de preservação; Técnicas de recuperação e Técnica moderna de preservação de documentos e papéis por desacidificação. Continuar lendo

Breviários de Biblioteconomia – Trecho do livro Reference Service, de Ranganathan

O breviário de hoje é um trechinho de um livro que fala sobre serviço de referência. Nessa citação, Ranganathan diz quais são os cinco métodos que devem dar suporte a formação de um bibliotecário de referência.

“O serviço de referência não pode ser aprendido meramente ouvindo palestras ou lendo livros sobre ele. Ambos os métodos são necessários; mas eles próprios não são suficientes. Os estudantes e os professores devem adotar o método quíntuplo de:
[Período como] Aprendiz ou método clínico;
Realização de leituras [acadêmicas];
Método prático;
Trabalho preparatório com materiais de referência; e
Discussão.
Esses cinco métodos terão que ser cuidadosamente ajustados em relação ao tempo.” (RANGANATHAN, 1961, p. 46, tradução minha).

REFERÊNCIA

RANGANATHAN, Shiyali Ramamrita. Reference Service. Bombaim: Asia Publishing House, 1961. Disponível em: <http://arizona.openrepository.com/arizona/handle/10150/106346> Acesso em: 20 out. 2018.

Mafalda, livros e bibliotecas na Argentina

Olá, pessoas! Tudo bem com vocês?

No começo de setembro estive na Argentina e, apesar do objetivo da viagem não ter nenhuma relação com a Biblioteconomia, acabei aproveitando para conhecer alguns pontos turísticos literários e afins.

Biblioteca Pública de la Universidad Nacional de La Plata

Vou começar minha narrativa pela visita que fiz a Biblioteca Pública de la Universidad Nacional de La Plata. Essa é a principal biblioteca pública da cidade de La Plata e nela tive a oportunidade de conhecer parte do acervo das Salas Museo que são o setor da biblioteca responsável pela guarda e preservação das obras raras do acervo. Continuar lendo

Biblio Radar – Setembro 2018

Radar
#PraCegoVer: Imagem de um radar circular nas cores verde e preto. Nele aparecem quatro pontos indicando a presença de objetos. Fonte da imagem: Pixabay

Acaba de chegar a edição de setembro do Biblio Radar. Por motivo de força maior – leia-se viva la vida lôca – a lista desse mês vai ser curtinha.

Manual de publicação da APA

American Psychological Association (6ª edição – Penso – 2012)

Estava paquerando esse livro a um tempinho e finalmente comprei um exemplar. Além de ser um ótimo complemento para livros sobre escrita acadêmica e metodologia, essa obra é uma aquisição excelente para quem se interessa por normalização porque o estilo APA aparece na sua completude nela. São oito capítulos que abarcam questões como tipos de artigos, escrita concisa, normas éticas, avaliação por pares e, claro, modelos de referências. Continuar lendo